in

Vazamentos de The Last of Us 2 fizeram as pessoas criarem uma barreira para entender Abby, diz Laura Bailey

Vencedora do prêmio de “Melhor Perfomance” no The Game Awards 2020 acredita que as reações negativas antecipadas seriam diferentes.

Vencedora do prêmio de “Melhor Perfomance” no The Game Awards 2020 por seu papel como Abby em The Last of Us Part II, Laura Bailey já atuou em diversos outros jogos. Ela é Jaina Proudmoore em World of Warcraft, Fetch em Infamous Second, Kait Diaz em Gears of War 5 e Black Widow em Marvel’s Avengers, mas foi na obra da Naughty Dog que interpretou a personagem mais complexa e polêmica de sua carreira.

Ao lado de Ashley Johnson (Ellie) amiga e parceira de trabalho também no Critical Role, Laura atuou como inimiga da personagem da amiga, e revelou em entrevista ao GameInformer que sabia que haveria uma reação negativa, que sabia que iria receber algum ódio. De acordo com ela, os vazamentos que anteciparam o lançamento do jogo não ajudaram. “Foi a tempestade perfeita. Acho que os vazamentos tiveram muito a ver com isso. Se sua primeira experiência com isso tivesse sido no jogo, e depois você seguisse em frente, você teria o crescimento e a compreensão. Mas os vazamentos foram divulgados alguns meses antes; você teve meses de pessoas formando barreiras e formando paredes antes de serem capazes de entender o lado de Abby e, portanto, muitas pessoas nunca foram capazes de entender.”

A atriz considera Abby um dos papéis mais desafiadores e intensos que já fez, e o mais gratificante, mesmo que tenha sofrido ataques de ódio nas redes sociais sobre as ações de sua personagem. “Foi [um] difícil [papel], mas acho que é uma história incrível, e acho que Abby é, cara, apenas um dos personagens mais incríveis que já interpretei.”

Revelou também ter tido sentimentos mistos. “Eu conhecia a história; Eu sabia no que estava me metendo, e quando chegou o ‘Day One’ com Abby, eu ainda não gostava da Abby ”, diz ela. “Não gostei do meu desempenho. Eu não gostei da personagem. Lembro-me de atuar por cerca de três horas no ‘Day One’ como Abby e falar com [meu marido] Travis, e dizer tipo, ‘Eu não gosto do que fiz. Eu não sou boa. Isso é terrível. Não sei como fui escalada. Todos esses anos de trabalho foram em vão. ‘ E Travis disse, ‘Apenas cale a boca, volte e continue atuando porque você está obviamente muito tendenciosa agora.’ E enquanto eu continuava a atuar, pensei, ‘Oh, ok, eu só enho que me acostumar comigo mesma porque eu não gostava de mim. Eu não gostava da Abby. ‘ Você não deveria, você sabe. “

A história do jogo mexeu com todos, tornando-o um lugar desafiador para ir dia após dia como atores. “Apenas a história com a qual tivemos que levar os personagens e o que eles tiveram que passar foi… foi muito,” diz Bailey. “É muito difícil depois de filmar cenas que são muito pesadas em perdas e tristeza, livrar-se disso no final do dia e simplesmente ir para casa. Essas emoções ficam com você.”

Os momentos favoritos de Bailey são as sequências de flashback com Owen na roda-gigante e no aquário. “Parecia que você estava em um projeto diferente naqueles dias porque era alegre”, revela. “Acho que o jogo obviamente precisa desses momentos de alegria.” Ela também amava construir um relacionamento com Ian Alexander (Lev) e Victoria Grace (Yara). “Eu realmente senti como se eu tivesse um irmão e uma irmã menores no set que eu realmente queria cuidar. Ambos são tão fofos.”

No entanto, foi o confronto final entre Ellie e Abby que mais a marcou, dizendo que exigiu uma quantidade extra de confiança entre ela e a melhor amiga Ashley. “Por mais doloroso que tenha sido, foi muito gratificante fazer [no palco]”, diz. “Só porque foi tão intenso e é tão raro você fazer esse tipo de coisa. É como o Clube da Luta [filme], onde você tem aqueles momentos loucos de agressão que normalmente você nunca teria e realmente deixar fluir. Uma das melhores coisas de ser um ator é experimentar emoções que você provavelmente normalmente controlaria e apenas as deixa rolar livremente.”