in

The Last of Us mudou paradigmas e Part II será grandioso e impactante, anseia Santaolalla em entrevista

Como sua estreia em um jogo de videogame em 2013 e confirmado sua participação na trilha sonora da série de TV de The Last of Us na HBO, o retorno de Gustavo Sataolalla como ambientador musical da história de The Last of Us Part II é tão aguardada como o próprio jogo.

Em entrevista em vídeo publicado em seu canal no youtube, o músico e compositor não poupou elogios a Neil Druckmann e a obra, que na sua opinião mudou paradigmas, falando que foi como um casamento com sua música e que apesar de trabalhos premiados como “Diários de Motocicleta”, “Babel” e “O Segredo de Brokeback Mountain”, ficou mais conhecido por um público novo que através do jogo descobriu seu trabalho, inclusive como cantor. Essa é uma área que lhe interessava muito, que seu filho é um grande apreciador de jogos, mas mesmo recebendo diversos convites teve que esperar para encontrar algo que lhe cativasse.

Minha carreira cresceu dessa maneira, sendo muito seletivo ao escolher projetos nos quais trabalharei mais tarde. Então, quando eu conheci Neil Druckmann, que escreveu o roteiro do jogo, eu sabia que esse projeto era o que eu estava procurando. Porque foi um jogo que mudou de paradigma e isso é algo que chamou minha atenção. 

Eu sempre tentei fazer isso em tudo que eu crio. E, primeiro de tudo, este é um jogo que mescla diferentes gêneros. Tem combate, sobrevivência, diferentes tipos de gêneros de jogos que os definem.  E este combinou todos eles mas também tinha uma ótima história por trás com uma enorme emoção nele. 

Gustavo segue explicando a importância da trilha sonora em momentos específicos do game e a carga de emoções que desperta nas pessoas, fazendo o mesmo papel de um filme.

Questionado sobre  The Last of Us Part II, apesar de não poder falar muito, ele se diz animado e o resultado do trabalho lhe rendeu bons frutos.

Estou muito empolgado com isso, porque eu acho que vai ser um momento enorme, quando o jogo sair, é muita gente… o que acontece é que este jogo me conectou, com um público totalmente novo, com uma geração diferente e mais jovem,  que agora descobrem que eu canto, por exemplo. Eles dizem ‘Uau, eu não sabia que você canta. Eu te conheço por causa do videogame ‘ E agora estou tão emocionado porque eu sei que a Parte II é outro ato genial de Neil. Acho que vai causar um grande impacto.

A indústria do cinema o consagrou mas The Last of Us tem sua especialidade.

O que acontece com este videogame é ainda maior. Sinto que The Last of Us ampliou ainda mais o mapa para mim, não apenas geograficamente, mas também geracionalmente.   

Estou muito feliz com a música deste videogame. Na verdade, eu gostaria de fazer ainda mais música e também encontrar novos jogos com diferentes características e outra coisa distinta mas ainda não o encontrei. Me deu uma tremenda satisfação e alegria. Verdadeiramente inacreditável.  E eles me deram muita liberdade para fazer isso, embora Neil Druckmann saiba o caminho e saiba o que ele quer…Eu fiz muita música para este jogo… Trabalho na parte II há 3 anos.