in

Rumor aponta que The Last of Us Part II será lançado especificamente no dia 22 de maio de 2020


Ultimamente diversos rumores tem sugerido a data de lançamento de The Last of Us Part II para 2020. O último apontou que o game será lançado em fevereiro, já o mais recente agora sugere que a segunda parte chegará um pouco mais tarde, especificamente no dia 22 de maio de 2020, uma sexta-feira.

O suposto vazamento vem de um usuário do 4chan que diz:

Uma fonte interna das equipes de desenvolvimento da Naughty Dog revelou, de forma confidencial, os recentes resultados de uma reunião empresarial dos líderes de marketing da Sony Playstation com os líderes gerais e diretores da Naughty Dog. E o resultado final desta reunião foi a convalidação final da data de lançamento de The Last of Us Part II. O lançamento foi marcado para 22 de maio de 2020.  

Originalmente, a equipe principal da Naughty Dog queria lançar o jogo para o inverno de 2020, e não para a primavera de 2020. No entanto, o título ainda precisava de mais tempo para melhorar ainda mais a qualidade de certos conteúdos, texturas e animações de alguns personagens e ambientes, a fim de refinar melhor o título. E também, durante a reunião, os líderes de marketing da Sony sugeriram que uma data fosse ponderada com mais cuidado, para evitar possíveis repercussões financeiras na publicidade do marketing do título. 

O jogo representa uma evolução radical notável em relação ao seu primeiro capítulo em todos os pontos de vista. Traz consigo desenvolvimentos narrativos interessantes, que darão luz a uma mudança inesperada dos acontecimentos.

A data de lançamento do jogo será revelada publicamente durante este outono.

De acordo com o que foi dito, está nos planos cautelosos da Sony promover o jogo nos próximos meses, entre o dia 21 de setembro e 20 de dezembro, que a vontade inicial da Naughty Dog seria lançá-lo ainda no inverno de 2020 (entre 21 de dezembro e 20 de março) mas que precisa de mais tempo para aperfeiçoá-lo.

É importante ressaltar, como destaca o comicbook, que nos últimos anos, o 4chan forneceu “rumores e vazamentos que se revelaram legítimos, mas houve mais rumores e vazamentos que se revelaram errados ou falsos” e que “esta é uma fonte anônima sem reputação, que ocasionalmente essas fontes são minas de ouro inesperadas, mas na maioria das vezes são trolls procurando por atenção ou simplesmente pessoas com informações incorretas.”