in

Para diretor de The Last of Us Part II um grande jogo pode ajudar você a passar por momentos difíceis


Listado pelo The Guardian como um dos mais criativos criadores de jogos da atualidade, Neil Druckmann, co-criador, escritor e diretor de The Last of Us e The Last of Us Part II é também o atual vice-presidente da Naughty Dog, desenvolvedora que torna possível blockbusters cinematográficos serem completamente jogáveis.

Respondendo a perguntas de Simon Parkin, ele disse que Half-Life foi responsável por despertar o seu interesse em fazer games. O jogo de tiro de 1998 onde você joga como um médico que precisa lutar para sair de uma instalação de pesquisa após um experimento mal feito, era diferente de tudo que ele já havia experimentado em um game antes. Isso o fez querer dissecá-lo e descobrir como os desenvolvedores conseguiram fazer isso. Ele também falou sobre a coisa mais frustrante desse trabalho. O tempo.

O aspecto mais frustrante desse meio – pelo menos, para os jogos que fazemos – é quanto tempo leva para fazê-los. Desde o início até a conclusão, pode levar de quatro a cinco anos. É muito tempo para manter uma equipe motivada, incluindo eu mesmo, para garantir que todas as peças se juntem para produzir uma experiência holística.

O lado bom disso tudo, que vale a espera e o longo tempo de trabalho, é fazer as pessoas se identificarem e poder ajudá-las.

Desde que me lembro, os jogos me proporcionaram uma fuga. O mundo real pode ser esmagador às vezes e um grande jogo pode ajudá-lo a passar por períodos difíceis em sua vida.

The Last of U Part II ainda não tem data de lançamento mas recebeu diversas novidades incluindo um gameplay de tirar o fôlego.