in

Haveria outros Rat Kings em The Last of Us 2, revela Naughty Dog

Como o Rei dos Ratos foi influenciado por Resident Evil, God of War e Bloodborne.

Idealizado bem antes de The Last of Us Part II se tornar realidade, o esboço do Rat King, Rei dos Ratos, surgiu como algumas peças de arte conceitual durante o desenvolvimento de The Last of Us. O infectado chefe é uma junção de alguns deles e tem aparição única no epicentro da pandemia quando jogamos com Abby, a segunda protagonista de The Last of Us 2.

Em conversa com o GamesRadar, a Naughty Dog forneceu detalhes exclusivos dos bastidores de sua criação.

“Queríamos que Abby tivesse essa coisa realmente intensa que ela supera, porque ela está meio que nessa missão de redenção para conseguir os suprimentos para o braço de Yara”, explica o co-diretor Kurt Margenau, “e então parecia o lugar perfeito para o Rato Rei. Ela passou por todas essas provações: Superando seu medo de alturas escalando a ponte do céu, lutando contra hordas de infectados no caminho, e saindo do outro lado pensando que o pior havia passado – apenas para ser jogada diretamente nessa batalha de boss.”

Som e animação

Para os barulhos de dar calafrios emitidos pela criatura, o designer de som Beau Anthony Jimenez teve como base apenas a arte conceitual, exigindo muita criatividade para criar rugidos e sons tensos e assustadores, utilizando como referência os sons dos outros infectados.

Já o diretor de animação Jeremy Yates teve que considerar como um matrimônio tão profano de carne e fungo se comportaria, estudando espécimes de Rat King preservados para conceituar um em movimento: “Embora nunca tenhamos visto um vivo, imagino que seja um caos coordenado de movimentos . Semelhante aos gêmeos siameses, eles são independentes, mas devem aprender a coordenar seus movimentos e trabalhar juntos. “

“Muita inspiração veio da cena do urso mutante do filme Aniquilação, e é por isso que você ouve os gritos do Stalker de gelar o sangue inicialmente. O jogador pode pensar que um clicker ou Stalker está se aproximando… mas alguns segundos depois, os gritos diminuem em um estrondo, que vibra objetos dentro da ambulância com foles subsônicos. Senti que essa abordagem elevou o fator-fantasma ao enésimo grau. ” explica Jimenez

Depois da aprovação do diretor criativo Neil Druckmann, que naturalmente aprovou, foi a vez de Yates e sua equipe de animadores, criarem o ataque inicial do Rei Rato a Abby na ambulância. A solução era ficar físico, amarrando três atores juntos para capturar a cinestética do monstro de vários membros.

Primeiras referências

“Acho que Resident Evil é provavelmente o limite para nós em termos de quão loucos queremos ser,” disse o co-diretor do jogo Kurt Margenau sobre a abordagem da Naughty Dog para construir sua marca única de terror pós-apocalíptico. “A razão pela qual alimentamos a ideia desses infectados fundidos é porque há uma história em nosso cânone do que acontece com eles quando ficam sentados por muito tempo.”

O curta-metragem de Neill Blomkamp, Zygote é outra referência, Inside também como uma inspiração para a fisicalidade do Rat King.

A 3ª temporada de Stranger Things também contribuiu no meio do desenvolvimento e apresentava uma grande criatura formada por ratos, que perseguia personagens em um hospital. “Já estávamos bem adiantados na produção, então não mudou muito, mas tem uma vibração muito semelhante “, conta Yates. “Foi pelo menos interessante ver como nossa versão final poderia ficar.”

Jogabilidade

Criar o ambiente em que o jogador enfrentaria esse monstro, foi estratégico. Elaborar um ambiente em loop em que ele e Abby pudessem brincar de gato e rato acabou gerando uma arena que parecia intensamente claustrofóbica – encorajando os jogadores a pensar em seus próprios pés com uma consciência elevada de sua própria vulnerabilidade.

“O desafio consistia menos em tornar a luta justa e mais em torná-la interessante”, admite Newman. “Temos todos os tipos de personagens que vão te ferrar se tocarem em você. Um de nossos inimigos comuns, o clicker, mata você com um golpe. Então, tivemos que pensar no que tornaria essa criatura algo mais do que apenas um clicker realmente tanky que absorve um monte de balas?”

A resposta, claro, foi a divisão. No meio da luta, um “super stalker” anexado ao Rat King se separará de seu hospedeiro, em um giro subversivo no tropo da luta contra o chefe de um ‘segundo estágio’.

Depois de derrotar o Rat King, Abby é então forçada a um tipo completamente diferente de batalha com o stalker; um intenso jogo de gato e rato ao qual Margenau se refere como a “luta de sobremesa” de cortesia da sequência. Newman revela que dois outros exclusivos PlayStation aclamados pela crítica foram a principal fonte de inspiração para esta progressão de eventos.

“Uma grande parte da jogabilidade dividida foi inspirada na luta de chefes Magni e Modi de God of War, onde você tinha esses dois inimigos complementares – um com uma arma rápida e outro com uma grande arma lenta.”

“A luta final com o próprio stalker foi inspirada por Eileen the Crow de Bloodborne. Eu amei como em um jogo com chefes de 20 andares de altura, a luta mais desafiadora e brutal de todas foi com essa pessoa que é exatamente do mesmo tamanho que você. Então isso era algo em que estávamos realmente interessados: como podemos fazer um infectado que não é massivo parecer tão mortal quanto? “

Felizmente, a abordagem de Yates para capturar o Rei dos Ratos com três atores dublês permitiu que sua equipe desse a “cada um dos corpos fundidos seu próprio movimento”, tornando mais fácil animar um se separando do outro de uma forma plausível. Enquanto isso, Jiminez caracterizou os gritos do super Stalker com amostras de “gritos de falcão e abutre mais lentos para dar um tom áspero e aterrorizante que soava quase como um humano torturado”.

O nome

Por mais impressionada que Abby tenha ficado a descobrir esse infectado gigante nas profundezas do hospital, ela não menciona a criatura para ninguém, apesar de sua importância potencial para a compreensão da humanidade sobre os infectados. Talvez ela esteja chocada. Talvez ela esteja preocupada que ninguém acredite nela. Ou talvez ela não queira considerar a possibilidade de que o Rei Rato que ela matou não era apenas uma exceção anômala à regra.

Os diretores Kurt Margenau e Anthony Newman revelam que teria uma nota em algum lugar do jogo que “daria a entender que realmente havia mais em outro lugar”, “mas que não entrou, o que o deixa neste estado estranho de pseudocânon.” conta Newman

“Ninguém nunca se refere a isso no próprio jogo. Debatemos se deveria haver algo que nomeia o que é…” diz Margenau, quando é interrompido por Newman que sorri e fala: “Mas você não se lembra, Kurt? Há aquela frase que Abby ia dizer quando começou a fugir dele; ‘Foda-se … Rato… Rei ?! ‘ Tivemos que cortar isso para ganhar tempo. “

Leia o artigo na íntegra em inglês no GamesRadar.