in ,

Faltando mais de 1 mês para lançamento, The Last of Us Part I vaza e jogadores criticam gameplay

Está na hora de falarmos sobre o jogo para PS5 que poderia também ser lançado para PS4 caso esse conteúdo se confirme como sendo do produto final.

*Este texto reflete apenas a opinião, visão e análise do autor da publicação.

Todos nós vimos o que aconteceu em 2020. E está impossível fazer vista grossa. Não dá mais para relutar em falar sobre. Está na hora de parar de fingir que não está acontecendo.

Cutscenes, detalhes e gameplay do remake de The Last of Us Part I estão surgindo a rodo na internet e isso vai aumentar. Comunidade se divide. Há relatos de cancelamento de compras, mas ao lado de God of War Ragnarok, ambos para PS5, remake da primeira parte da jornada de Joel e Ellie é atualmente o segundo mais vendido da Amazon. O lançamento está programado para 2 de setembro, mas tudo isso pode até antecipá-lo.

Não se trata de receber spoilers de algo que foi apresentado ao público a quase uma década atrás, mas sim de algo que só deveria ter sido revelado pelos responsáveis e donos da IP. Muitas pessoas trabalharam nesse jogo.

Todas as informações aqui abordadas, são de minha responsabilidade, autor desta publicação, mas foram obtidas via GamesRadar (link), ComicBook (link), IGN Brasil (link), Adrenaline, VGA (link), twistedvoxel (link), Tecmundo (link) e outros veículos de imprensa que cobrem a indústria de games. Até o momento não há sinais consistentes de que a Sony PlayStation e a Naughty Dog estão tomando atitudes severas para cessar esse problema.

O jogo que dias atrás foi anunciado ter chegado a GOLD, há mais de 48 horas tem recebido imagens que, segundo os leakers e reposts, embora pareça bonito graficamente em alguns momentos, não aparenta apresentar evolução no gameplay em relação a versão original lançada para PS3 e PS4, em 2013 e 2014, respectivamente.

*Não se sabe se essas imagens são da versão final.

Proposta

Apesar de ser uma história conhecida por muitos, uma revisita a esse incrível mundo pós-apocalíptico – além da primeira experiência para novos jogadores, ninguém resistiria. Um projeto que obviamente custou tempo e dinheiro para todos os envolvidos no desenvolvimento da nova versão, está fadado a um boicote por simplesmente ser uma das IPs mais populares dos últimos 10 anos – essa é uma consequência. O que preocupa é se essa será uma tendência e atingirá também outros grandes títulos como God of War Ragnarök que chega em novembro.

Em cutscene vazada do trágico momento na vida de Sarah e Joel que antecedem a abertura do remake, nota-se expressões faciais mais naturais e a beleza nos gráficos que já conhecemos. Nada mais.

Gameplay

Assim como as cenas, o cenário parece bem bonito, mas os vídeos vazados da jogabilidade mostram que objetos se comportam de maneira estranha, e os movimentos de Joel não atingem as expectativas – não há qualquer novidade como esquiva ou agachamento do personagem, por exemplo, chega a incomodar o quão “duro” os movimentos da jogabilidade parecem, já que há uma promessa da Naughty Dog de que o combate seria aprimorado, “mecânica reconstruída” (embora não se saiba o quanto) e que estaria a altura de The Last of Us Part II, mas o que se nota é que em alguns momentos parece uma versão beta, early access, ainda em desenvolvimento. O vídeo em questão é ambientado na biblioteca de Pittsburg.

Ainda sobre o capítulo na cidade, um outro vídeo parece um pouco melhor, mas a inteligência artificial ainda parece ter a mesma limitação do jogo original e é possível ver Ellie caminhando tranquilamente em meio a tiros dos caçadores, como se nada tivesse acontecendo, além de outros pequenos bugs visuais que já estamos acostumados a ver em muitos jogos.

*Não se sabe se essa é a jogabilidade da versão final do jogo.

Naughty Dog

“Parece bom, muito bom. Especialmente atingindo a mesma barra de qualidade que TLOU2.”

“Parece bom, muito bom. Especialmente atingindo a mesma barra de qualidade que TLOU2.”

“A mecânica de jogo também é reconstruída.”

“A mecânica de jogo também é reconstruída.”

Acessibilidade, resolução e taxa de quadros

De acordo com imagens, o jogo para PS5 apresentará uma série de novas opções de acessibilidade, como visto em The Last of Us Part II. Novos anexos para as armas de Joel, menu original mas uma interface e uma bancada de upgrades dos equipamentos mais detalhista e semelhante a Part II, e dará aos jogadores a opção de escolher entre 4 perfis gráficos diferentes. Uma dessas configurações favorecerá uma resolução mais alta a uma taxa de atualização mais baixa, enquanto outra comprometerá a resolução para fornecer uma taxa de quadros mais alta, de acordo com o site twistedvoxel.

  • Modo Fidelity: neste modo, o jogo será executado em uma resolução nativa de 4K e atingirá uma taxa de quadros de 30fps.
  • Modo de desempenho: aqueles que preferem melhor desempenho podem alternar para este modo, que visa uma taxa de quadros de 60 fps junto com uma resolução interna dinâmica aumentada para 4K.
  • Fidelity Mode + 120Hz Display: este modo será suportado apenas em telas de 120Hz e oferecerá o meio termo entre os modos Gráfico e Desempenho, visando uma taxa de quadros de 40fps junto com 4K nativo.
  • Modo de desempenho de taxa de quadros desbloqueado: este modo estará disponível apenas em monitores que suportam saída de 120 Hz e será melhor experimentado com a taxa de atualização variável (VRR) ativada. Ele rodará o jogo em uma resolução dinâmica, com uma taxa de quadros desbloqueada que vai além de 60fps e atinge 120fps. O VRR permitirá que a tela sincronize sua taxa de atualização com a taxa de quadros do jogo, eliminando a presença de trepidação visual e rasgos na tela.

Áudio e Dualsense

O som, como de praxe, é mais do que normal sofrer uma atualização com tudo o que permite a tecnologia atual 3d, asssim como os recursos já revelados pela Naughty Dog envolvendo o Dualsense.

Opinião

Ainda precisamos esperar para descobrir se o que foi vazado, fazem parte do produto final. Até aqui, o que foi prometido que seria uma nova experiência, está sendo frustrante. Precisamos também salientar a importância de jogá-lo na TV sem a perda da qualidade que a internet causa.

Mas caso essas imagens sejam um vislumbre do visual do jogo na TV, se confirmem como parte do jogo Gold e todo o restante tenha esse nível de qualidade, The Last of Us Part I só não será um erro para quem sequer viu ou jogou o original e para todos os que precisam de acessibilidade. Tirando isso, não será possível acreditar que esse material tenha passado no controle de qualidade da Naughty Dog e podemos até supor que equipe montada pela PlayStation Studios para realização do remake, é supostamente quem comandou e bateu o martelo em todo o projeto. O que vimos até agora, está difícil de acreditar que venha da mesma desenvolvedora que lançou alguns dos melhores jogos de todos os tempos, Uncharted 4 A Thief’s End, The Last of Us e The Lastof Us Part II.

Por fim, uma pergunta. Se The Last of Us Part II e God of War Ragnarök (que ainda será lançado) são também para PS4, por qual motivo o remake The Last of of Us Part I ser uma exclusividade do PS5 e não rodar no console anterior?

Particularmente acredito muito no potencial da Naughty Dog e espero estar equivocado em muitos pontos desse texto. Estou nesse momento olhando para um PS5 que adquiri apenas para poder ter essa nova experiência do jogo que faz parte da vida de cada um de nós.



PRÉ-VENDA DE THE LAST OF US PART I


THE LAST OF US INSIDE