in

Em ambientes maiores, furtivo ou violento, suas ações vão te deixar desconfortável em The Last of Us Part II


A Naughty Dog já deixou claro que a nova jornada de Ellie será motivada pelo ódio, vingança e que evitar o derramamento de sangue em alguns momentos em The Last of Us Part II, poderá ser uma opção.

Conforme visto na demo de gameplay concedida a imprensa recentemente, enfrentaremos animais, especificamente cachorros (só o que vimos). Com mais liberdade para avançar ou explorar ambientes maiores, esse será um dos testes emocionais que a desenvolvedora abordará, assim como matar ou não humanos quando você bem quiser. As consequências disso poderão ou não te deixar desconfortável.

Neil Druckmann explica que a desenvolvedora trabalhou muito para fazer com que os jogadores tenham diferentes maneiras e opções de avançar no jogo, desde que isso não fuja do tema proposto.

Nós queríamos sequências inteiras em que avistam você, um combate começa e você foge sem explorar a área. Da mesma forma, queríamos muito mais sequências em que você pode entrar e sair sem que ninguém perceba. É muito difícil, um grande desafio, mas é possível fazer isso. Em outras situações, queremos que você realize ações que vão te deixar desconfortável. Tudo isso é parte da narrativa, parte da jornada de Ellie.

O dog esclarece também para aqueles jogadores que querem se sentir livres como andarilhos e aproveitar o máximo da experiência, que “evitar confrontos sangrentos não significa que vão faltar áreas interessantes para explorar”.  Sendo assim, haverá momentos de calmaria em que você pensará a respeito.

Assim como em Uncharted 4 e The Lost Legacy, estamos experimentando layouts muito maiores. Vamos fazer isso nesse jogo e encontrar maneiras de refletir a história com isso em vista. Queremos que a tensão diminua e você comece a se perguntar: ‘O que eu faço? O que eu vou explorar aqui?’. Isso é algo que vamos ter.

Os cães poderão interromper essa exploração e é nesse momento que você vai pôr a mão na consciência.

Cachorros são uma forma de fortalecer os inimigos humanos dando a eles a capacidade de farejar você, sem trocadilho. Eles usam o faro e, ao se mover, Ellie deixa um rastro [de cheiro] que se dissipa ao longo do tempo. Se um cachorro conseguir captar a trilha, ele consegue encontrá-la onde você se esconder, de um jeito que um humano não é capaz. Por outro lado, quando mata um cachorro, você se sente pior que matando uma pessoa.