in

Diretor diz quais seriam as últimas palavras de personagem em The Last of Us Part II

Antes de prosseguir lendo essa notícia, se você ainda não jogou ou concluiu The Last of Us Part II, saiba que ela contém informações, SPOILERS que certamente comprometerão sua experiência.

Em junho, alguns dias após o lançamento de The Last of Us Part II, o diretor e escritor do game, Neil Druckmann, concedeu uma entrevista ao IndieWire. Na ocasião, ao lado da também escritora Halley Gross, ele comentou as ideias iniciais que tiveram para diversas cenas do jogo.

Questionado se teve medo ao elaborar momentos importantes que definiriam a experiência dos jogadores, o dog disse que partes emocionais são sempre difíceis de acertar e fazer funcionar. Inicialmente, na cena que Joel morre, por exemplo, o personagem diria uma última palavra, mas que a ideia foi descartada quando perceberam que a cena teria um significado maior se ele não dissesse nada.

Muitas vezes, é apenas o processo iterativo de criação e corte de um monte de coisas que percebemos que não eram necessárias. O que vem à mente agora é a morte de Joel. Na primeira edição dessa cena, você não sentiu nada. Ellie está sendo segurada e Joel está olhando para ela e tivemos uma ideia do tipo: “Oh, cara, o cérebro de Joel está tão ferrado naquele momento que a única palavra que sai da boca dele é o nome de sua filha, ‘Sarah’”. parecia poderoso, mas então Troy [Baker – Joel] – para seu crédito – estava tipo: “Eu não acho que ele deveria dizer nada.” Filmamos as duas versões e Troy estava certo. A cena era mais forte sem ela.

Levando em consideração que poderia soar clichê, por outro lado, poderia ser algo reconfortante, uma referência de que o personagem estaria indo de encontro a filha Sarah no plano espiritual. Também poderia ter um duplo sentido. Como ele estaria dizendo isso olhando para Ellie, seria o mesmo que chamá-la de uma segunda filha.


O que você acha, chamar por Sarah tornaria a cena menos ou mais impactante?