in

Diretor diz entender divergência de opiniões sobre The Last of Us Part II, mas não o ódio


Em entrevista para o podcast do ex-chefe da Nintendo, Reggie Fils-Aime, o escritor e diretor de The Last of Us Part II, Neil Druckmann, reconheceu que alguns fãs do primeiro jogo não gostaram da sequência, algo que já vinha sendo antecipado por ele e pela Naughty Dog, que é meio que inútil lutar contra as pessoas quando elas compartilham diferentes opiniões – sejam boas ou ruins. No entanto, não consegue entender o ódio que acaba por muitas vezes em perseguição.

Acho que você precisa criar uma certa separação para dizer: criamos este jogo, acreditamos neste jogo, estamos orgulhosos desse jogo, agora está lá fora e é como qualquer reação das pessoas – gostem ou não – isso é justo

Neil desabafa e sente pelos colegas de trabalho que são atacados e que faz de tudo para tentar superar essas coisas.

Essa é a reação deles e você não luta contra isso. A outra coisa com as coisas mais odiosas, as mais vis, é um pouco mais difícil. É especialmente mais difícil quando vejo isso acontecendo com membros da equipe ou membros do elenco que interpretam um personagem em particular no jogo. Nós temos uma atriz, ela está recebendo coisas horríveis e vis por causa de um personagem fictício que está interpretando no jogo.

Eu só tenho dificuldade em entender isso. O que eu tento fazer é ignorar o máximo que posso. Quando as coisas se tornam sérias, existem certos protocolos de segurança que adotamos e eu os reporto ao autoridades competentes. Depois, tento se concentrar nos aspectos positivos e se distrair com outras coisas. Mas é apenas a realidade.