in

Destino de personagem de The Last of Us Part II já estava selado e acabou sendo o gatilho

Antes de prosseguir lendo essa notícia, se você ainda não jogou ou concluiu The Last of Us Part II, saiba que ela contém informações, SPOILERS que certamente comprometerão sua experiência.

Durante o episódio recente do podcast oficial de The Last of Us em que Alexandria Neonakis da Naughty Dog disse acreditar que Ellie e Abby poderiam ser amigas se as circunstâncias fossem outras, o diretor e escritor do game, Neil Druckmann, revelou que quando já estava escrevendo Left Behind, eles já estavam pensando na próxima história da sequência e foi aí que o destino de Joel foi selado.

Na minha opinião, o arco de Joel estava praticamente pronto – eu não sabia mais para onde levar esse personagem – mas Ellie estava lá… parecia que pelo menos no momento seria adequado para todas essas outras histórias.

Ele explica que focar em Ellie foi parte de um desafio maior e que a partir das consequências dos atos surgiu o conceito de abordar o ódio.

Ao mesmo tempo, comecei a pensar em histórias para o próximo jogo. Muitos deles foram muito focados em tramas, como, ‘Qual é uma situação legal para colocar Ellie? Ah, e se ela soubesse que alguém está imune e ela continuasse essa jornada para encontrar essa pessoa imune… Parecia interessante do ponto de vista da trama: reviravoltas interessantes, você pode fazer todo o fan service, Joel vai persegui-la e agora eles serão unidos, e a mentira entrará em jogo por causa do que ela está procurando ‘, mas parecia que estava faltando a coisa que eu acho que teve sucesso no primeiro jogo, o que era o coração emocional, esse conceito universal muito simples de amor. Podemos fazer você sentir que o amor incondicional que um pai sente pelo filho? Sem isso… poderia ser uma história emocionante, mas não capturaria a ressonância emocional que o primeiro jogo teve.

Deixei isso por um tempo e voltei a ele com o conceito de ódio, desse sentimento muito universal de que todas as pessoas experimentam um profundo ódio profundo, onde, em sua mente, você está disposto a cometer atos horríveis de violência contra outro ser humano. Sendo… até onde minha mente iria descer essa espiral descendente, e há alguma coisa voltando disso?

Em entrevista anterior, o dog falou que as primeiras idéias do jogo era de um design de mundo aberto e que Abby seria uma habitante da comunidade de Jackson e que acabaria traindo Joel, mas “simplesmente não funcionou porque Joel morrer é o incidente incitante, e você deseja chegar ao incidente o mais rápido possível.” No final das contas, a equipe decidiu transmitir o que era necessário.

Abby foi o conceito que nos fez querer fazer esse jogo sobre empatia, interatividade; sabendo que poderíamos usar Joel e Ellie para criar esse sentimento logo no início. O papel dela continuou encolhendo e encolhendo até pensarmos que essa era a quantia certa para o que precisamos que você sinta sobre Abby.