in

10 momentos do gameplay de The Last of Us que queremos ver na série HBO

Listamos alguns dos acontecimentos mais marcantes de nossas jogatinas e que esperamos que sejam abordados na adaptação PlayStation.

A série de The Last of Us está cada dia mais próxima, e depois de todas as informações divulgadas, podemos ver que a fidelidade ao material original será bem alta.

Teremos mais destaque em alguns personagens secundários, novas histórias contadas, e para a alegria dos fãs, muitos momentos icônicos do game estarão presentes na produção da HBO.

Hoje, vamos listar alguns dos momentos mais marcantes de The Last of Us que não podem faltar na série!

1- O dia do surto

Começando pelo começo, é claro. The Last of Us iniciou sua história como outras produções de “zumbis”, mostrando o fatídico dia do surto em que a sociedade colapsa totalmente.

Porém, é logo aí que o título começa a se destacar e entrega uma das cenas mais tristes e marcantes de todo seu enredo. A caótica fuga da família Miller em meio a destruição, caos e incontáveis mortes é um momento de tirar o fôlego, especialmente com o final de partir o coração com a morte de Sarah.

O intuito da cena é claro: Chocar o jogador e mostrar que esse é um jogo diferente. Já tivemos a confirmação de que essa sequência está na série após fotos com Pedro Pascal (Joel), Gabriel Luna (Tommy) e Nico Parker (Sarah) terem sido divulgadas, e sem dúvidas será um momento impactante para todos os espectadores.

Pedro Pascal (Joel), Gabriel Luna (Tommy) e Nico Parker (Sarah)

Tendo o mesmo impacto que no game, a cena abrirá a série de uma forma fenomenal, já trazendo todo o peso que o enredo carrega e desenvolvendo de uma forma brilhante todo o sofrimento e amargura de Joel.

Prontos para chorar de novo?

2- A aparição do primeiro Estalador

O primeiro a gente nunca esquece, não e mesmo?

Os Estaladores são os inimigos mais memoráveis de toda a campanha, devido ao seu visual amedrontador, seus “estalos” arrepiantes, e o seu nível de ameaça, já que este carinha deu muita dor de cabeça para quem não tinha uma faca reserva.

A apresentação desses caras no centro de Boston é memorável, apesar de serem inimigos comuns, os estaladores são icônicos e originais, exatamente o que a série precisa para cativar o público logo de inicio e dar aquele frio na barriga toda vez que um deles estiver em cena.

Pedro Pascal (Joel) e Bella Ramsey (Ellie)

Para a alegria dos fãs, a primeira foto oficial da produção mostrou exatamente isso. Podemos ver Joel e Ellie se escondendo de um estalador, já confirmando que seu visual continua assustador e fiel ao material original.

3- Armadilhas de Bill e toda sequência de Lincoln

Sem dúvidas, um dos melhores capítulos de The Last of Us. Em determinado ponto da campanha, temos que ir para Lincoln coletar nossos “favores” com Bill, um antigo amigo de Joel e veterano quando o assunto é lidar com infectados.

Toda a sequência de Joel e Ellie evitando as armadilhas, até o ponto de nosso protagonista preso de cabeça para baixo tendo que lidar com os infectados é desesperador e muito memorável.

Felizmente todo esse sentimento de urgência estará presente na série. Nick Offerman, um excelente ator conhecido por Parks and Recreation, será o intérprete de Bill na série, e além de termos toda a interação dos protagonistas com esse amado personagem, é aí que a produção pode se destacar e trazer algo a mais.

Nick Offerman

Offerman viverá o relacionamento de Bill com Frank interpretado por Murray Bartlett, que diferente do jogo será explorado na adaptação, algo que foi bem construído por meio de carta e pistas no jogo será melhor trabalhado na produção da HBO. Isso trará mais peso para o personagem, aproximando ainda mais o público e aproveitando a bagagem dos atores.

4- As piadas – maravilhosas – de Ellie

Interpretada por Storm Reid, Riley estará presente na série, e o momento mais esperado de todos que jogaram a DLC Left Behind pode estar mais próximo que nunca! Ellie sendo mordida descobrindo sua imunidade? Não. O encontro do livro de piadas da Ellie!

É claro que em uma produção tão dramática e cheia de momentos pesados, um alivio cômico sempre vai bem, seja para dar uma aliviada na tensão, ou nesse caso, para construir ainda mais nossa protagonista.

Durante alguns momentos da campanha nós temos a difícil tarefa de escutar uma piada pior que a outra (algo que rende até um troféu no game), e apesar de simples, são ocasiões que nos deixam ainda mas próximos de Ellie e demonstram o lado bobão que ela ainda tem, mesmo em meio a tanto caos.

5- Ellie e Riley em Left Behind

A campanha de Left Behind é marcante por uma série de motivos, seja por finalmente nos mostrar como Ellie foi mordida, pelos perrengues passados pela protagonista enquanto cuida de Joel, mas principalmente pelo seu relacionamento com Riley.

A DLC veio com o intuito de preencher algumas lacunas na história principal e apresentou essa personagem que nos conquista imediatamente. Todo o carisma de Riley, sua motivação para se juntar aos Vagalumes, e seu relacionamento com Ellie são verdadeiros marcos na campanha.

Essa sequência é mais do que obrigatória na série de The Last of Us, já que temos a descoberta da imunidade de Ellie e mais detalhes sobre seu passado, além de cenas marcantes como a cabine de fotos, a loja de fantasias, a guerra de pistolas de água, darem aquele quentinho no coração e fazer a gente se apegar ainda mais com as duas.

6- Sam, Henry e Pittsburgh

A entrada de Sam e Henry na história é de extrema importância, não só para explorar ainda mais aquele lado da desconfiança com outros humanos – afinal, os infectados não são a maior ameaça, não é mesmo? – mas também para outro grande ponto dramático na produção.

Toda a sequência de Pittsburgh é fantástica, seja pela fatídica cena do gerador no porão do Hotel, o atirador do subúrbio, os Stalkers no esgoto, tem muito material para um episódio inteiro de tirar o fôlego.

Os irmãos Sam e Henry já foram confirmados através de fotos nos bastidores e uma chamada de elenco, que revelou que Sam será surdo na história da adaptação. E como outros núcleos ditos acima, este também pode ser melhor explorado na produção. Henry, assim como Ellie, teve que amadurecer muito rápido, não só para poder sobreviver, mas principalmente para cuidar de seu irmão, tendo que tomar algumas decisões bem difíceis ao longo da jornada.

O encerramento deste arco é mais um daqueles momentos de dar nó na garganta, mostrando que essa história sabe entregar momentos tristes e não tem dó de dar fim à personagens na mesma velocidade em que foram apresentados.

De pontos específicos desse capítulo da história além dos que já mencionei, também estamos ansiosos para ver conversando com Pascal sobre estereótipos (essa garota é tão magra), Joel carregando Ellie na paleta de madeira sob a água pela primeira vez , Henry tirando o robô do Sam e Ellie pegando ele de volta para dar para ele depois, A fuga pela ponte de Pittsburgh e Ellie e Sam jogando futebol nos esgotos.

7- Colorado e o desenvolvimento de Ellie e Joel

Esse é um exemplo perfeito de desenvolvimento de personagens e diálogos bem feitos. É claro que além de uma história bem contada, os jogos tem todo o quesito gameplay que sustentam essa narrativa, afinal uma jogabilidade bem feita e momentos tensos nos atraem ainda mais para a obra.

Como não temos esse fator na série, a imersão do espectador deve ser trabalhada de uma maneira diferente, seja na ambientação, trilha sonora, e principalmente uma história bem contada e diálogos bem feitos. O arco do Colorado tem isso, e de sobra!

É nele que aprendemos mais sobre o passado de Joel quando o mesmo diz que queria ser cantor, e também somos apresentados ao amor de Ellie por astronomia e seu desejo em ser astronauta. Ao longo da campanha, esse é um dos momentos de maior proximidade dos dois, e sem dúvidas minutos inesquecíveis do nosso gameplay.

8- O arco do inverno

Um dos – talvez o melhor – capítulo de toda a jornada. Após Joel ficar seriamente ferido, passamos a controlar Ellie em um dos momentos mais tensos e desesperadores da campanha. Nossa estratégia de gameplay precisa mudar imediatamente, já que Ellie – por ser uma adolescente – não tem toda a habilidade e muito menos a força física de Joel.

É nesse capítulo que somos apresentados a David, um dos vilões mais terríveis do jogo, e toda a sequência de perseguição no restaurante que me causa calafrios só de lembrar ao escrever esse artigo.

Esse momento com certeza dará as caras na série, o que promete um episódio extremamente tenso e focado em Ellie, o que dará a oportunidade de Bella Ramsey brilhar em sua atuação.

Entre os destaques que queremos ver estão, Ellie caçando o cervo e o coelho, lendo a carta de sua mãe e a morte do Callus.

9- Cena da girafa

Falem a verdade, quem não soltou um “Owwn” nessa cena? Em um dos últimos momentos da história temos alguns momentos de calmaria, com Joel bem mais feliz e assumindo totalmente seu amor paterno por Ellie, e a mesma apreensiva pelo o que virá adiante.

A cena da girafa, por mais que seja um momento simples, transmite totalmente esse sentimento. É o sinal que ainda existe uma leve esperança nesse mundo tomado pelo caos e barbaridades que passamos de forma sofrida ao longo de toda a experiência.

10- O massacre no hospital

Não temos como finalizar de outro jeito, não é mesmo? É em sua última missão que The Last of Us nos deixa na ponta da cadeira em uma das sequências mais tensas de todo o jogo.

Quando Joel descobre que Ellie teria que morrer para que a vacina fosse feita, seu amor e ´espírito protetor pela garota tomam conta e o massacre no hospital inicia. São momentos chocantes e pesados, e apesar de estarmos na pele do personagem o caminho todo, não tem como não sentirmos culpa por todos aqueles assassinatos.

O jogo termina de forma brilhante, com o jogador dividido se entendemos o lado do protagonista e salvamos a vida de Ellie, ou se fomos tomados por um sentimento egoísta e terminamos a história como um “vilão”.

O encerramento é um show aparte, mostrando toda a complexidade do enredo e deixando claro que, em um mundo entregado ao caos, não existem pessoas que são “preto no branco”. O final pesado e reflexivo é perfeito para ser encaixado na série, dando ainda o famoso gancho para uma segunda – e dolorosa – temporada.

No epílogo controlamos Ellie enquanto Joel se abre com ela e finalmente fala da Sarah. A cereja do bolo e o resultado de uma das histórias em jogos mais bem construídas e melhor contadas nessa mídia.

Agora diz para nós no instagram, twitter ou facebook, quais sãos os momentos de gameplay que não podem faltar na série? Mandem suas sugestões!



PRÉ-VENDA DE THE LAST OF US PART I


THE LAST OF US INSIDE