in

10 coisas que mudaram em The Last of Us Part I, de acordo com a Naughty Dog

Estúdio PlayStation antecipa o que veremos no Remake para PS5.

A Naughty Dog revelou um novo vídeo detalhando o que esperar de The Last of Us Part I. O jogo que será lançado no dia 2 de setembro para PS5, vai contar com uma série de novidades. Listamos.

Personagens mais realistas

De acordo com o diretor criativo e escritor Shaun Scayg, reimaginar The Last of Us deu a eles a oportunidade de reconstruir os personagens com a mais alta fidelidade, onde foi possível dar mais realismo na profundidade dos olhos, e a animação facial é muito mais convincente nas atuações dos atores nas cutscenes. Há também transições quase perfeitas entre cenas, história e gameplay, em todas as partes do jogo, segundo Scayg, que acrescenta que tudo foi muito planejado para deixar o jogador imerso.

Detalhes e objetos nos cenários

O também diretor Matthew Gallant, disse que o PS5 permitiu que eles conseguissem fazer com que a física dos objetos em cenas, seja muito melhor do que antes, fazendo o mundo apocalíptico parecer mais rico, citando a perseguição que Joel e Ellie sofrem em Pittsburg pela SUV militar dos caçadores, que haverá muitos objetos voando e detalhes quando eles atiram nas estruturas.

IA

Eles garantem que a inteligência artificial dos NPCs aumentou, que há sistemas sofisticados que permitem que eles percebam e entendam, se comunicando uns com os outros a fim de localizar o jogador. De acordo com Gallant, os aliados tem a tecnologia herdada de The Last of Us Part II. Um entendimento sofisticado de deixar um local quando houver risco de que os inimigos hipoteticamente os vejam.

Gameplay

Uma das grandes novidades da jogabilidade, afirma Gallant, é a correspondência de movimentos, tecnologia que, segundo ele, usa lógica, que tenta combinar o movimento desejado com centenas de animações e resulta em diferentes maneiras pelas quais a pessoa pode se mover, tentando encontrar a melhor animação correspondente que se encaixe onde o personagem está indo, e o movimento dá uma sensação de transição perfeita. O movimento do jogador é muito mais limpo, orgânico e suave, disse.

Recursos

Assim como em The Last of Us Part II, modificadores de jogabilidade, modo de renderização, e o Permadeath, também estão no novo jogo, assim como a nova versão do Photo Mode, além do modo Speedrun, em que vai permitir o jogador cronometrar na tela o seu tempo de jogatina.

  • Modificadores de jogabilidade adicionais
  • Modos de renderização
  • Permadeath
  • Photo Mode
  • Speedrun

Skins

  • Skins de armas
  • A volta das roupas personalizadas desbloqueáveis para Joel e Ellie.
  • Visualizador de modelos para apreciamento dos detalhes.

Acessibilidade

A acessibilidade é muito necessária, e é claro que assim como na Parte 2, ela também foi introduzida no remake. Esse será o primeiro jogo PlayStation que tem audiodescrição.

Cenário

As paisagens exuberantes do mundo que a Naughty Dog criou estão ainda mais lindas na Part I. A direção de arte elevou o nível. Eles prometem que o jogador sentirá o ambiente de uma maneira muito mais visceral. Os cenários foram completamente reimaginados, disse Scayg.

Áudio

Druckmann destacou que agora que eles tem o motor no PS5, o áudio 3D cria uma experiência muito mais imersiva, mais emocional.

Dualsense

O controle do PS5 vai proporcionar uma experiência inovadora no arco e fecha e nas demais armas.

A bancada de criação e modificação teve uma evolução também semelhante a Parte 2, com novas animações, e o jogador vai obter um feedback háptico, seja desmontando uma arma ou parafusando algo, ou em uma luta corpo a corpo e nos momentos de alta intensidade.

A cena da girafa vai ganhar uma nova experiência.

O que esperar

Druckmann enfatizou que há algo especial no remake dessa primeira parte da jornada de Joel e Ellie, que é honrá-la, manter a autenticidade, e elevá-la de todas nas maneiras possíveis. Seja a direção de arte, seja a tecnologia… tudo que os permitem de tornar isso, não diferente, mas sim uma experiência extremamente melhor. “É por isso que para mim, essa é uma maneira definitiva de jogar The Last of Us.”



PRÉ-VENDA DE THE LAST OF US PART I


THE LAST OF US INSIDE